Medicina e Segurança do trabalho

PPRA

Whey Black Skull

Resumo: Independência do Brasil (7 de setembro de 1822) e o fim do Período Joanino. A tentativa de recolonização do Brasil pelos Cortes de Lisboa e a declaração de independência do Brasil por D. Pedro I às margens do Rio Ipiranga. A peculiaridade da independência brasileira: o herdeiro do trono português torna-se Imperador do Brasil, a manutenção da escravidão, a ausência de participação popular, a manutenção da integridade territorial e a adoção da monarquia. Início da História do Brasil Império (1822-1889).

"Historiação Humanas: educação com um toque de entretenimento".

Oi pessoal! Eu sou o Jener Cristiano do canal Historiação Humanas e você está assistindo a oitava e última aula sobre o Período Joanino e o processo de independência do Brasil. O básico que você precisa saber sobre este tema foi abordado ao longo de oito aulas. Outras abordagens serão trabalhadas nas aulas de aprofundamento.

Na aula de hoje iremos analisar o processo de Independência do Brasil, um fato histórico diretamente relacionado com a Revolução Liberal do Porto e com o retorno de D. João VI para Portugal.

A Revolução Liberal do Porto fez com que o rei Dom João cumprisse uma série de exigências. A principal delas era o retorno da Corte para Portugal. Caso essa exigência não fosse cumprida D. João corria inclusive o risco de perder a sua coroa. Ou seja, corria o risco de deixar de ser o legítimo rei de Portugal. Dom João atendeu às exigências das Cortes de Lisboa e voltou imediatamente com toda Corte para Portugal. Mas, porém, contudo, entretanto, todavia, não obstante ele deixou seu filho Pedro no comando do Brasil ocupando o posto de príncipe regente.

Eu disse na aula anterior que o principal objetivo das Cortes de Lisboa era recolonizar o Brasil e restabelecer o monopólio comercial de Portugal. Para atingir este objetivo era de fundamental importância que o príncipe regente também retornasse para Portugal.

Diante desse contexto as elites políticas brasileiras procuram se aproximar de Dom Pedro para que ele permanecesse no Brasil. Diante do avanço do parlamento português, que marchava a passos largos em sua intenção de recolonizar o Brasil, estes grupos políticos apoiaram e incentivavam o príncipe Dom Pedro para que ele declarasse a independência do Brasil.

Foi em meio a estes acontecimentos que ocorreu o recolhimento de várias assinaturas implorando para que Dom Pedro não voltasse para Portugal. Este episódio aconteceu em 9 de janeiro de 1822 e ficou conhecido como “Dia do Fico”. Tem até aquela famosa frase dita por Dom Pedro neste dia que é esta aqui:  "Se é para o bem de todos e felicidade geral da Nação, estou pronto! Digam ao povo que fico". No dia 7 de setembro de 1822 Dom Pedro recebeu uma carta das Cortes portuguesas. O parlamento português ameaçou realizar uma invasão militar caso o príncipe regente não retornasse imediatamente para Portugal. Com o apoio das principais elites políticas brasileiras (algo que já vinha acontecendo a algum tempo) Dom Pedro declarou a independência política do Brasil às margens do Rio Ipiranga. Ou seja, o Brasil passava a partir daquele momento a não ter que obedecer a nenhuma ordem política, econômica, social, cultural, religiosa ou de qualquer outra natureza que viesse de Portugal.

A partir de agora vamos falar sobre o processo de independência. Que fique bem claro o seguinte aspecto. Declarar a independência é uma coisa, conquistá-la é outra completamente diferente.   O processo de conquista da independência do Brasil não foi tão tranquilo como afirmam alguns livros didáticos. Aconteceram inúmeros enfrentamentos militares. A maior parte dos conflitos aconteceram na Bahia, Maranhão, Piauí, Pará e Cisplatina (região onde fica o Uruguai). Nestas regiões havia um maior número de portugueses que se mantiveram fiéis ao Parlamento de seu país. Ou seja, a luta para impedir a independência do Brasil foi feita por portugueses que já estavam aqui mesmo em nosso território. Os gastos com as guerras de independência foram tão altos que foi necessário recorrer a empréstimos internacionais concedidos pelos ingleses para contratar os mercenários que lutaram contra as tropas portuguesas.

Após este período mais turbulento das guerras de independência chegou a vez do trabalho diplomático. Os Estados Unidos da América foram a primeira nação a reconhecer a independência do Brasil no ano 1824. Depois disso, chegou a vez do reconhecimento por parte de Portugal no ano de 1825. Mas, porém, contudo, entretanto, todavia, não obstante Portugal só reconheceu a independência do Brasil depois do pagamento de uma indenização de 2 milhões de libras esterlinas. A Inglaterra só reconheceu a independência do Brasil em 1827, mas com a condição da renovação dos Tratados de 1810 por mais 15 anos. Ou seja, aqueles tratados comerciais feitos entre Portugal e Inglaterra em 1810, que concediam aos ingleses o pagamento de apenas 15% nas tarifas alfandegárias para vender seus produtos no Brasil foram renovados. Isso significa que a Inglaterra seguiria dominando o mercado brasileiro no mínimo até o ano de 1842.

Agora vem a parte final de nossa aula. Nós vamos falar sobre a peculiaridade da independência brasileira. Ou seja, vamos falar de certas características que fizeram da independência do Brasil um caso único, particular, específico em relação aos demais países do continente americano.Em primeiro lugar, a independência do Brasil foi proclamada pelo próprio herdeiro do trono português: D. Pedro I. Na prática este fator limitou o rompimento político com Portugal, pois D. Pedro I era ao mesmo tempo o imperador do Brasil e o próximo rei de Portugal.

Em segundo lugar, ao contrário do que aconteceu na América espanhola aqui no Brasil ficou garantida da integridade territorial do país. Ou seja, enquanto que na ex América Espanhola surgiram vários países independentes, tais como Argentina, Uruguai, Paraguai, Bolívia, Venezuela, Equador e tantos outros na ex América Portuguesa surgiu um único país: o Brasil.

Em terceiro lugar, na independência do Brasil não houve uma ampla participação das camadas populares. O processo de independência do Brasil foi liderado pelas elites políticas e econômicas. Como a grande maioria dessas elites econômicas era composta por latifundiários (os grandes proprietários de terras) eles decidiram por manter a escravidão para garantir a mão-de-obra necessária para as suas propriedades. A maioria dos nossos vizinhos na América Latina aboliu a escravidão logo após a conquista da independência. Outra diferença importante em relação aos nossos vizinhos no continente americano foi a adoção da monarquia como forma de governo, ao contrário do governo republicano que foi adotado por todos os demais países independentes da América.

E dessa forma, teve início uma nova fase da História do Brasil: O Brasil Império. A nossa aula termina por aqui. Muito obrigado pela sua atenção ao longo dessas oito aulas sobre o Período Joanino e a Independência do Brasil! Acesse os links na descrição do vídeo, inscreva-se em nosso canal e cadastre o seu e-mail para ficar atualizado sobre as aulas mais recentes de Historiação Humanas. Não se esqueça, temos um encontro marcado toda segunda e quarta às 21 horas. Um forte abraço e até a nossa próxima aula!